Via o mar ao longe e ficava a desejar puder estar contigo, lado a lado, com todos os carinhos e gestos delicados que poderíamos partilhar. O vento batia-me no rosto e arrefecia-me as faces rosadas, os meus cabelos esvoaçavam, desfazendo e refazendo os caracóis que desenhavam as minhas costas. A maresia preenchia-me a alma com saudades de casa, mas, principalmente, saudades de ti e de nós. Queria voltar. E dar-te um beijo.