E fico por estes cantos a pensar se a culpa disto tudo foi minha ou tua e se realmente chegamos ao chamado 'fim' por si dito e sentido. É inevitável não pensar se realmente acabou ou não. E, passado poucos minutos do tempo em que pensava nisto tudo, combinamos algo para um dia destes, como se nada tivesse acontecido, como se não tivéssemos ficado dias e dias sem conversar. Fazes-me sentir uma estranha em mim às vezes. Se continuar assim, fico cada vez mais confusa com tudo. Mas por agora veremos o que o futuro nos reserva.