Sinto-te a falta. Este aperto no peito perdura deste ontem, mas tento me controlar e dar-te o espaço que me pediste. Mas isto deixa-me tão mal, tão em baixo. Não te ter quando eu quero sufoca-me. Nunca me ensinaste a viver sem ti e agora sinto-me assim: incompleta e isolada. As lágrimas parece que querem habitar a minha face e o meu coração, o sorriso não sai com naturalidade como quando estou contigo. Sinto-me estranha em mim.