Neste momento desabei. Tomei consciência da realidade, tomei consciência que a distância poderá vir a ser um problema e fiquei com medo - muito medo. O mais certo é a distância vir a ser muito grande e encontro, no meio das minhas lágrimas, a crua realidade de que podemos deixar de resultar. Recuso-me a aceitar isto e entro na minha fase de negação, que à tanto tempo permanecia adormecida. Tento distanciar e sonhar, mas e se...? Fico-me por esta fase de possibilidades. Não quero te perder, não agora que finalmente te encontrei e consegui ser feliz.