Levantei-me toda despenteada, ainda cheia de sono, peguei no meu telemóvel e arrastei-me até ao sofá. Liguei a televisão e pus-me a ver desenhos animados. Aii como eu gosto disto e já à muito tempo. São momentos destes que me fazem sentir aquela criança que ainda habita em mim: tão livre. E juro que nunca a vou deixar morrer.